Viveiro de Mudas Floresta, produzimos mudas destinadas ao reflorestamento de áreas degradadas, mata ciliar e áreas de reserva legal, mudas nativas e mudas frutiferas, confira nossas espécies!

Mudas para reflorestamento temos cerca de 50 espécies de mudas nativas que variam de 0.20cm até 2.00mts, além de mudas no tubete, Mudas Florestais Nativas e Exoticas, Mudas Frutiferas, mudas para arborização urbana, áreas mineradas, confira nossas mudas!

Mudas Nativas Pau Viola
Arvores de Pau Viola em Vasos Plasticos

Esta árvore atinge de 15 e 20 metros de altura. O tronco reto e, às vezes, levemente curvo tem medidas que variam de 40 e 60 centímetros de diâmetro. Suas folhas, opostas e simples, possuem coloração mais clara na parte de baixo, com nervuras marrom claras.


muda nativas pau viola

Pesquiza Feita no Ipef

Fonte Citada Abaixo

Dados da Espécie

Especificações Gerais

Pau Viola (Popular)


Familia: Verbenaceae
Nome Científico: Cytharexyllum myrianthum Chamiáo
Nomes Comuns: tucaneiro, pau de viola, tucaneira, jacareúba, baga de tucano, pombeiro, tarumã, tarumã branco, pau viola
Crescimento: árvore
Grupo Ecológico: oportunista
Ocorrência: floresta estacional semidecídua , flor. ombrófila densa , mata ciliar , etc.
Distribuição Geográfica: BA ES MG PR RJ RS SC SP
Dispersão: zoocoria
Polinização: fanelofilia
Floração: OUT NOV DEZ
Frutificação: JAN FEV MAR ABR

Utilização
Utilizada para: Carvão 
Melífera 
Fauna 

Dados do Caule
Tipo de Estrutura: não há
Densidade da Madeira: 0,7
Observações: Tronco reto ou levemente curvo, geralmente curto; fuste com até 5m. Espessura da casca 10mm; a externa marrom-escura, soltando placas longitudinais; a interna branca-amarelada. Alburno branco não diferenciado do cerne; cerne beje-claro, cheiro e gosto indistintos.

Dados da Flor
Forma da Flor: tubulosa
Número de Pétalas: 5
Tamanho da Flor: 0
Cor: amarelas
Estrutura: cacho
Tipo: Inflorescencia
Sexual: cacho
Observações: Flores pequenas. Cachos axilares e terminais de 6,5 a 20cm de comprimento.

Dados da Folha
Tipo: Simples
Forma da Folha: lanceolada
Tamanho da Folha: 5,0x15
Inserção: oposta
Consistência: coriácea
Contem: Glandulas
Nervação
Observações: Forma da folha pode variar de lanceolada para oblonga e elíptica. Uma ou duas glândulas no ápice do pecíolo. Caniculado. Face asaxial da folha com coloração mais clara e com nervuras pubescentes e de coloração marrom-clara. Árvore decídua, heliófita, seletiva higrófita, 8-20m x 40-60cm, podendo atingir 25m x 70cm.

Dados do Fruto
Tipo do Fruto: drupa
Estrutura: Carnoso
Cor do Fruto: vermelho
Tamanho: 1,5
Deiscencia: não
Observações: Drupa oblonga recoberta em 40% pelo cálice persistente, com polpa carnosa mole, com 2 caroços cada um, com 2 sementes.

Dados das Sementes
Forma da Semente: carnúncula
Cor da Semente: branca
Tamanho: 0,2
Quantidade: 4
Observações: Semente oblonga, pequena e achatada com amêndoa bipartida.

Técnicas em Viveiro
Beneficiamento: Colher os frutos diretamente da árvore quando começarem a ser procurados pelas aves. Em seguida, deixá-los amontoados alguns dias, para iniciar sua decomposição, e despolpá-los manualmente com peneira sob água corrente, deixando as sementes ao sol para secarem em ambiente ventilado.
Dormência: não
Quebra da Dormência: Colocar as sementes para germinar logo que colhidas e sem nenhum tratamento, em canteiros ou diretamente em recipientes individuais (substrato organo-argiloso).
Quebra Natural: 6 meses
Germinação: 80 % após 0 dias
Condução: semi-sombreado
Formação: a 30 cm em 0 meses
Tolerância: sim. 2-3 semanas após repicagem (4-6cm).
Plantio: Espécie heliófila, apresenta brotação após corte. Plantio á pleno sol é recomendado podendo compor XXXXXXXX

Bibliografia
LORENZI, H. Árvores brasileiras. Manual de Identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa. Ed. Plantarum. 1992. 352p.

CARVALHO, P.E.R. Espécies florestais brasileiras. Recomendações Silviculturais, potencialidades e uso da madeira. EMBRAPA-CNPF. Brasília. 1994. 640p.